sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Muito Além dos muros da Escola: Porque a Escola não é, a Escola se dá.

Ontem à noite, minha esposa, que está cursando pedagogia na ULBRA, venho me interrogar sobre “como era possível a Escola servir de receptor das diversas vivências de alunos e professores e com isso formar pessoas que não somente sabem alguns conteúdos, mas podem ser “seres agentes” na sociedade em que vivem? .”
macaco pensando filosofando

Num primeiro momento a resposta me parecia clara evidente...”essa é a função da Escola enquanto instituição e ponto final”... mas não demorou muito para que meu cérebro entrasse em um breve colapso e num segundo momento eu já não tinha mais nenhuma condição de estabelecer qualquer juízo sobre o assunto. Claro que ela não ficou nada satisfeita com isso.
colapso cerebral loucura

Tive que tomar algumas doses de Paulo Freire, Matthew Lipman e pelo menos um pileque de Whisky para que as ideias começassem a fluir na minha cabeça...Primeiramente necessitamos ter a consciência de que a Escola é muito maior do que um pequeno prédio onde enjaulamos nossas crianças todos os dias...a Escola enquanto instituição vai muito além dos muros de si mesma.
escola bonita bela e legal

A Escola é também o “entorno educacional”... É o interesse dos partidos políticos, é a experiência dos cientistas, é o traficante da vila, é o mercadinho do bairro, é a igreja do pastor... Acima de tudo a Escola é cada professor, cada aluno, cada pai de aluno... Neste sentido poderia dizer que a Escola não é, ela se dá.
abc alfabeto

Ela se dá em meio a um imenso fogo cruzado das mais diversas facções envolvidas na formação do individuo. Além das já citadas como Partidos políticos, igrejas e o crime organizado, existem duas facções mais poderosas, que travam uma batalha sangrenta dentro e além dos muros da Escola: a Família representando os valores privados institucionalizados dentro do lar de cada aluno ou de cada professor; e o Estado representando valores públicos institucionalizados como a lei, a constituição e o desenvolvimento da nação.

A Escola nunca pode se dar por vencida. Ela não pode tendenciar para nenhum lado... Se uma facção dominasse a Escola ela dominaria a maneira com que a história seria contada. Por isso a Escola deve ser autônoma. Deve ser a representante de todas as facções ao mesmo tempo em que deve ser a representante de nenhuma. O fato é que cada família, cada governo, cada professor, etc., deseja ter o controle da Escola e como consequência imprimir seus valores e convicções nos respectivos estudantes... Isto já aconteceu em períodos medievais e modernos, bem como em algumas ditaduras, mas se voltasse a acontecer, seria melhor que a Escola enquanto instituição deixasse de existir.
fechar escola

Para ser autônoma ela não pode ser heterogênea. A Escola se dá em meio à diferença... em meio à mistura. Mas ao misturar os indivíduos ela necessita ter cuidado para manter suas individualidades. A única maneira de fazer isso é através do respeito. Só assim ela pode potencializar as qualidades e desestimular as más intenções.
diversidade racial sem preconceito

Cada aluno, cada professor, cada pessoa dentro dos muros da escola, carrega com sigo um mundo de vivências, experiências, valores, etc... Cada um carrega consigo suas impressões. A Escola deve ser um terreno fértil que possa, a partir destas diferenças,  gerar novos paradigmas, onde todos possam se respeitar, aprender e ensinar. Nesta escola ideal o professor não pode ser o dono da verdade, ele deve ser o elo entre a Família e o Estado, entre um individuo e os outros indivíduos. Nesta escola ideal são firmados pactos invisíveis de convivência, influência, interdependência... Pactos esses que são capazes de envolver todas facções... Pactos que permitirão que o aluno além de aprender uma serie de conteúdos pragmáticos ou lúdicos; possa receber uma série de sentidos e significados. Sentidos e significados que não venham como verdades absolutas, mas que venham como força transformadora... Força esta que poderá imprimir os valores necessários dentro de cada aluno para que este passe de uma vítima do seu meio, a um ser agente e transformador da sua realidade.
mãos dadas mundo melhor

Referi-me a uma escola ideal... Essa escola ideal não existe e não pode existir... Afinal ela seria exclusiva para pessoas ideais... E essas pessoas nunca existiram e nuca existirão. Mas a Escola de verdade deve buscar inspiração na escola ideal para fazer sua parte na sociedade. A escola é o receptor das diversidades, é o misturador, é o idealizador, é o respeitador... E por ser tudo isso ela se não é... Ela se dá...E ao se dar, ela dá a esperança que as futuras gerações não cometam os erros do passado e que possam desfrutar de um futuro melhor. Só por isso a Escola ainda existe, só por isso ainda vale a pena enjaular nossas crianças.
crianças estudando

Se existe alguma instituição que pode ainda mudar o mundo, essa instituição é a Escola, ou pelo menos eu prefiro acreditar nisso.
filosofando pensamento

                Minha esposa havia pedido uma resposta breve e fácil... Acho que acabei por filosofar um pouco demais... Talvez minha resposta não a satisfaça, mas se assim for... Eu sei encontrar outras maneiras de satisfazê-la.   
fabio goulart beijando josemara

















Fabio Goulart
Porto Alegre, Outubro de 2011.

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Muito bom o seu blog, você gostaria de escrever para o meu ?

    Se tiver interesse deixe uma mensagem lá no blog.

    www.falsosmoralismos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. @O Eremita. Muito obrigado! Estou seguindo seu blog e vou seguir firme aqui no Filosofiahoje.com Fique à vontade para usar meus textos, peço apenas que cite a fonte e o autor. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Gostei muito do texto, parabéns. Acredito que a educação é uma forma poderosa para mudar a sociedade em um lugar melhor. Mas atualmente poucos alunos se sentem satisfeitos por está na escola, mas gostam de estudar. E uma observação sobre a escola, por que tem que dividir os alunos em pedaços? "português, matemática, geografia", entre outras. E sem contar que a grade curricular foi elaborada na época da ditadura militar
    Meio irônico não é? Se chamado de grade curricular?

    oxigeniodoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir