sexta-feira, 5 de junho de 2020

“Hoje, há uma espécie de proliferação da canalhice” diz Clóvis de Barros Filho


Hoje, confira a conversa com Clóvis de Barros Filho. Ele refuta a alcunha de pensador ou intelectual, mas em pouco mais de seis meses de dedicação exclusiva às palestras sobre temas filosóficos já conquistou milhares de novos admiradores e seguidores em redes sociais. O professor universitário, Clóvis de Barros Filho, deixou as salas de aula da Universidade de São Paulo (USP) para percorrer as empresas de todo o País e ministrar palestras inspiracionais. Na entrevista a seguir, Barros Filho fala sobre felicidade, relações sociais, ética privada e pública e como encontrar satisfação no dia a dia.

Clique no link e leia a matéria original e completa:

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Leandro Karnal 'Zona de conforto é o início do fim'


A última e uma das mais aguardadas palestras da 18ª Convenção Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Conescap) foi a que encerrou o ciclo do evento. O historiador, professor e escritor Leandro Karnal falou aos mais de dois mil participantes sobre planejamento e estratégia para um tempo novo.
Atentos à fala de Karnal, o público participante da convenção foi convidado a sair da zona de conforto, sendo orientados a sempre correrem atrás daquilo que seja capaz de fazer uma empresa crescer. "O mercado é competitivo, desafiador, pra quem tem equilíbrio psíquico e que quer trabalhar. O mercado não é fácil. Se eu pudesse dar um conselho, eu diria acorde cedo e trabalhe", disse Karnal.

Clique no link e leia a matéria original e completa:

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Mario Sergio Cortella 'Ser bom ou mau é escolha'


 Quem é você? Justo, generoso ou intolerante e ganancioso? Tem mais vícios ou virtudes? Costuma ser bom o tempo todo ou às vezes se pega fazendo pequenas maldades? Já parou para refletir sobre os próprios comportamentos e o que o levou a tê-los: circunstâncias da vida ou escolhas que fez? Sobre isso e as possibilidades de sermos “anjos ou demônios” bati um papo – descontraído, apesar do tema – com o filósofo, professor e escritor Mario Sergio Cortella.

Como se deu a concepção de “Nem Anjos Nem Demônios”, seu livro com a Monja Coen?

Tenho outros livros, nessa coleção, sobre ética, política, sobre moral, esperança. Mas nunca tinha colocado num diálogo mais direto alguém com a marca da filosofia ocidental, da religiosidade ocidental, como eu, e alguém ligado à concepção oriental asiática, caso da Monja. Juntamos essas duas formas mais usuais de entendimento sobre essa temática para trazer um debate mais forte sobre o que acontece no cotidiano, a necessidade de pensar a vida como escolha. A noção do bem e do mal como resultado de decisões e não como fatalidades.
Clique no link e leia a matéria original e completa:

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Monja Coen e Clóvis de Barros - A felicidade é inútil


Nesta sexta-feira (20/12) o Podcast Mamilos, segundo podcast mais ouvido do país, recebe duas das maiores personalidades do pensamento contemporâneo sobre a Felicidade. Monja Coen e o professor Clóvis de Barros Filho são os convidados da semana para sentarem-se ao lado das jornalistas e apresentadoras Cris Bartis e Juliana Wallauer e jogar luz sobre o tema, também assunto do recente livro publicado pelo professor, “A Felicidade É Inútil”, no qual a Monja escreve o texto de abertura. O programa está disponível gratuitamente a partir das 15h em todas as plataformas de áudio, como Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts.

Clique no link e leia a matéria original e completa:

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Solitários, somos livres, porém passamos frio diz Leandro Karnal


A epígrafe acima remete a uma metáfora do filósofo alemão Arthur Schopenhauer, que dá nome a um livro do historiador Leandro Karnal: “O Dilema do Porco-espinho”. Para Schopenhauer, somos como porcos-espinhos que anseiam por proximidade, mas, ao mesmo tempo, somos machucados por ela. Como consequência, acabamos buscando distância e isolamento, para logo nos sentirmos solitários novamente e reiniciarmos o ciclo.
Uma das questões centrais para o filósofo idealista alemão é tentar descobrir como balancear a dor da proximidade com a angústia da solidão. Karnal sugere uma possível solução dos tempos modernos: “De muitas formas, o mundo digital tem sido a resposta encontrada para equilibrar as pessoas entre a dor da solidão e a dor do contato com outras pessoas”. Online, conseguimos nos manter próximos dos outros, mas também podemos silenciá-los com um único botão. Assim, temos o poder de nos isolar quando e como quisermos e escolher com quem queremos ou não falar, independentemente da distância.

Clique no link e leia a matéria original e completa: