terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Inclusão social de verdade

Triste é ver que as pessoas clamam por democracia, mas não sabem conviver em sociedade;

\/

Uma última reflexão acerca dos rolézinhos...

DE UMA VEZ POR TODAS LEIAM e não digam o que não sabem: Ninguém disse que pobre e negro não pode entrar no Shopping.

As pessoas que não entraram lá, no dia da liminar de SP, nós sabemos muito bem o motivo: Foi devido ao interdito proibitório, através de LIMINAR LEGÍTIMA que foi solicitada pelo Shopping.

E até ai, não há problema algum. O problema, é a pergunta que fizemos e que chega como um debate e crítica para toda sociedade:

Se fossem Jovens Ricos e bem vestidos, fazendo algazarras e cantando alto um bom Sertanejo Universitário, ou um Flash Mob, ou uma festa de Ricos, lá, será que o comportamento seria o mesmo?

NÃO É UMA RESPOSTA, É UMA PERGUNTA. NÃO ESTOU AFIRMANDO, NEM QUERO QUE VOCÊ RESPONDA, APENAS PENSE.

Quando uma pessoa rica e poderosa, como o filho do Eike Batista mata uma pessoa atropelada e sai caminhando, isso não é tratamento VIP? Quando um rico político rouba milhões da sociedade e sequer perde o cargo de político, isso não é tratamento VIP?

QUANDO JOVENS RICOS FAZEM BADERNAS, SÃO CRIMINALIZADOS?

Ninguém tem nada contra pessoas ricas, contra "burguesia", nem com quem tem mais dinheiro, temos contra o preconceito! Pois é isso que move o medo que faz as portas se fecharem.

NÓS NÃO CONCORDAMOS COM CRIMES;
QUEM COMETE CRIME DEVE SER PUNIDO - NÃO QUEM NÃO COMETE;
MAS E QUEM NÃO COMETEU CRIME ALGUM E FOI PROIBIDO DE ENTRAR PELA LIMINAR?

Estamos aqui fazendo uma crítica social com este evento, gostaríamos de fazer a sociedade debater o assunto e em parte conseguimos.

Se você acham que não é válido, que não deveria ser feito em Shopping, ok, é seu direito, assim como é o nosso de protestar.

Tudo foi organizado, pedimos autorização e o Shopping aceitou, a PM aceitou, Os Juízes aceitaram! Se vocês não aceitam, ok. Mas não venham aqui ofender. Criem um evento pra vocês! Não seja um recalcado porque nós fizemos o que você não tem coragem. Faça! Não gastamos um centavo com tudo isso, certamente você tem as mesmas condições de criar um movimento de tanto impacto.

Mas infelizmente as pessoas não querem debater, refletir, entender, ponderar, elas preferem acusar, xingar, pois é mais fácil.

Vem gente de todo o canto, dizendo para eu ir trabalhar, fazer caridade, aproveitar melhor meu tempo. (sem saber que já fazemos tudo isso e ainda conseguimos fazer esta mobilização)

Pessoas que em geral adoram julgar os outros, adoram apontar dedo, são caçadores de erros e defeitos, são preconceituosas, mas não conseguem ver seus próprios defeitos, não conseguem visualizar os seus.

Triste é ver que as pessoas clamam por democracia, mas não sabem conviver em sociedade;

Não dissemos que o ato que ocorreu foi por racismo, dissemos que está incluso. MAS:

Sim, existe racismo;
Sim, existe preconceito contra pobres;
Sim, existe preconceito com pessoas que gostam de funk;
Isso você pode ver aqui lendo os comentários.

E é esta nossa crítica. Se gostam, ou não gostam, é outra coisa....

Pessoas que não conseguem ler uma linha, sem preconceito... Gente que muitas vezes pensa como nós mas transborda recalque por em toda vida nunca teve coragem de movimentar os jovens a lutarem por seus direitos.

Para estas pessoas, não existe bolsa de estudos, não existe universitário pobre e não entenderam que falamos que estes universitários em sua maioria estavam ao nosso lado, pois são pessoas que estudam o comportamento humano e da sociedade, mas como não temos uma pessoa sério sequer que vem aqui falar sério conosco, mas só quer acusar, o que vai se fazer?
(Filósofo Fabio Goulart e critico Social Fábio Fleck da páginaFilosofia Hoje)
Comentários
1 Comentários

Um comentário: