terça-feira, 3 de setembro de 2013

Tem gente que acredita em "mágica" quando o assunto é política. Acredita que a democracia liberal parlamentar funciona e é a única que existe e pode existir. Acredita que a culpa de todos os males que afligem a sociedade se resume em "corrupção" ou, em última análise, na má administração pública. Que no momento que a política mudar, a sociedade mudaria para melhor. Ouso dizer que mesmo que todos os políticos resolvessem ser honestos, ainda assim existiria desigualdade e miséria. Que mesmo que todos os políticos resolvessem ser mais humanos e solidários, ainda assim poucos terão muito e muitos terão pouco. Que mesmo que todos os políticos resolvessem trabalhar em nome dos direitos humanos básicos, ainda assim existiria segregação racial e social, existiria a indústria cultural voltada para os interesses dos privilegiados, existiria os bancos e multinacionais voltados para os próprios interesses econômicos. O que eu quero dizer com tudo isso? Só pode haver mudança na política se houver mudança social radical. A radicalidade do comunismo está no fato de colocar o projeto da emancipação humana acima dos interesses do Estado ou da separação entre o poder e o povo. Como já havia indicado Benjamin, a separação do poder e povo já é uma forma de violência. (Filósofo Jeverton Soares Dos Santos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário