segunda-feira, 1 de abril de 2013

A educação no Brasil - O Som da Verdade #12




Considera-se que este tema é dos mais importantes para o desenvolvimento do país.
O que é verdade, tendo em vista que este é o caminho natural para alcançar qualidade de vida. O indivíduo precisa cursar o ensino fundamental, ensino médio e posteriormente escolhe seu caminho, que pode ser um curso técnico, um curso profissionalizante, ou uma universidade.

Existem pessoas que optam por fazer um curso técnico e depois universidade, ou até mesmo não fazer universidade. Não existe uma receita obrigatória de como e o que estudar, pois isso depende de cada um, da vida, das inspirações, dos gostos e de demais acontecimentos. 

Após os estudos, é hora de procurar um bom emprego o qual você possa exercer e utilizar o que você aprendeu neste tempo todo que empregou sua dedicação.

É verdade que existem fatores que ocorrem na vida, o qual pode contribuir, ou não para que você estude ou continue estudando. Por exemplo, se você ganhar na Mega Sena e não quiser mais trabalhar, fundar uma empresa de sucesso e precisar parar de estudar, por falta de tempo e precise se dedicar unicamente para o trabalho. Existem também pessoas que não querem fazer faculdade. 

O ensino fundamental e o ensino médio são os ensinos básicos e as pessoas não precisam necessariamente fazer um curso técnico, ou universidade.

A questão é que você vai se deparar com a escolha do emprego e se deparar com a necessidade de ganhar mais, ou precise atingir metas e objetivos pessoais e é ai que entra a necessidade de se qualificar cada vez mais.

Em um período anterior, o ensino superior era uma dádiva para poucos, mas está ficando cada vez melhor e mais fácil estudar e se tornar um especialista na área em que você escolher. Obviamente, falta muito ainda para o Brasil neste sentido, mas já conseguimos avanços significativos. Porém, precisamos chegar muito mais longe e cobrar isso de todos.

O Brasil ficou na penúltima posição em um índice comparativo de desempenho educacional feito com dados de 40 países. O ranking, divulgado nesta terça-feira (27) pela Pearson Internacional, faz parte do projeto The Learning Curve (Curva do Aprendizado, em inglês) e mede os resultados de três testes internacionais aplicados em alunos do 5º e do 9º ano do ensino fundamental.

A Finlândia e a Coreia do Sul ficaram com os dois primeiros lugares do topo. Já o Brasil só ficou à frente da Indonésia, o que só mostra que precisamos ir muito além das conquistas atuais.

Os investimentos em educação feitos pelo Brasil nos últimos anos cresceram. Porém, ao contrário de outros países com o mesmo perfil de desenvolvimento, a qualidade de ensino não acompanhou o aumento desses gastos. A conclusão faz parte de um estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) no final do ano passado.

O Brasil continua na 85ª posição no ranking mundial de IDH, em consequência da educação.
A educação no Brasil, segundo o que determina a Constituição Federal e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) deve ser gerida e organizada separadamente por cada nível de governo. 

O Governo Federal, os Estados, o Distrito Federal e os municípios devem gerir e organizar seus respectivos sistemas de ensino. Cada um desses sistemas educacionais públicos é responsável por sua própria manutenção, que gere fundos, bem como os mecanismos e fontes de recursos financeiros. 

A "nova constituição" de 1988, reserva 25% do orçamento do Estado e 18% de impostos federais e taxas municipais para a educação, mas na verdade estamos muito longe disso.

Autor: Fábio Fleck
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. E temos ainda um agravante. Incluem como 'investimento em educação' coisas como merenda escolar, aquisição de ônibus, gastos com festividades e - pasmem! Cachês pagos a artistas que fazem shows em eventos ditos 'culturais e gratuítos ao público'. Licença Bóris... 'Isso, é uma pouca vergonha!'

    ResponderExcluir