quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A religião do capitalismo




       Sem a religião, o capitalismo jamais teria se desenvolvido e chegado aonde chegou, segundo Weber. Este é um pensamento interessante pois Weber mostrar que existiu uma afinidade entre a ética protestante e o espírito do capitalismo, tal qual o título de sua obra mais famosa, as seitas foram a base, a confiança necessária para as primeiras transações comerciais. Foi o primeiro passo dado para se chegar no capitalismo hoje. É importante pensar o papel da religião na atualidade. Por mais que seja o seu poder realmente grande, é notável mesmo que paradoxalmente, seu enfraquecimento ao longo do tempo. Não devemos descartá-la de nosso contexto e realidade mas sim ter um olhar crítico a seu respeito lembrando novamente Weber que acreditava na supremacia da racionalidade ao mundo, aprisionadora do homem numa "gaiola de aço". Nem a religião escapou dessa supremacia, por isso hoje está submetida às leis do mercado. O materialismo e o individualismo são os motores que impulsionam a nossa sociedade. O "eu" é o que importa enquanto o "outro" fica em segundo plano. 

Fonte:
http://religiaoecapitalismo.vilabol.uol.com.br/conc.html

Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. na realidade a ideia do capitalismo começou com a escrita, pois a escrita possibilitaria o controle sobre sobre os bens dos faraós e toda riquezas que eram produzida, depois criou-se a ideologia dos deuses e o pagamento do dizimo.
    a revolução industrial começou a partir destas teorias.
    a partir do momento em que a sociedade permite-se ser controlada pelas maquinas, elas se tornaram uma extensão da mesma. deixando de ser um ser humano livre e se tornando escravo do capitalismo. . E o controle da sociedade sobre os indivíduos não se opera simplesmente pela consciência ou pela ideologia, mas começa no corpo, com o corpo. Foi no biológico, no somático, no corporal que antes de tudo investiu a sociedade capitalista.

    ResponderExcluir