sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Porque é tão bom ter um gatinho. Homenagem ao Pompom e ao pequeno Maru que se foram...( Adeus Ano Velho )

Eu sempre gostei de gatos. Eles sempre foram meus animais favoritos.
                                                  *Eu ainda pequeno com gatinhos*

Gosto também de cachorros e de todos os animais... Mas os gatos sempre me fascinaram de um jeito especial.

Acho que pelo mistérios e pela leveza que eles carregam, pelo andar elegante, pelo olhar  sempre atento e vidrado, pela higiene, pela velocidade surpreendente, pelo carinho incondicional e oportuno, etc... não há um motivo para eu gostar tanto de gatos, mas eu gosto.

A alguns anos atrás tive um gato que era simplesmente incrível, ele foi o primeiro presente que eu e minha esposa ganhamos logo que fomos morar juntos. Ele era predominantemente branco com o rosto e o rabo amarelos...  Super gordinho e tinha uma mancha exatamente redonda nas costas na cor amarela. Por isso lhe damos o nome de POMPOM.
                               *Pompom lendo um livro na nossa humilde primeira casa*

A relação entre eu e minha esposa foi se desenvolvendo de acordo com o crescimento do POMPOM. E ele teve uma vida agitada. Gostava de noitadas e cantoria, mas sempre estava lá para me receber... Quando eu voltava pra casa após semanas no quartel...Pompom estava lá... quando tomei antidepressivos... Pompom estava lá... quando compramos nosso primeiro carro Pompom estava lá...  quando compramos nossa casa própria... Pompom estava lá... quando fiquei desempregado... Pompom estava lá... Vivemos muitos histórias e Pompom sempre estava lá, como seu ronrono e seu carinho, ele era muito malandro e curioso, ainda hoje é possível achar algum pelinho dele numa roupa guardada no roupeiro... Mas um dia percebemos que Pompom ele estava com dificuldade para urinar, mas não demos muita atenção, não parecia ser muito sério... mas uns três dias depois eu estava no pátio cortando grama, Pompom estava no meu lado como sempre esteve, ele olhou no fundo dos meus olhos e deu um miado mais grosso que o normal, tentou pular a janela e não conseguiu... Peguei-o no colo... Senti que ele estava fraco, forçando a respiração... Não pensei duas vezes, enrolei o Pompom num roupão de banho que ele adorava e levamos na clinica veterinária mais próxima.  A médica falou que ele tinha cálculos renais que não estavam permitido o gatinho urinar. Estávamos sem dinheiro, mesmo assim pedimos para que fosse feito tudo que se podia fazer. Se necessário faríamos um empréstimo o qualquer coisa do tipo... Parecia que ia ficar tudo bem... antes de sair, Pompom fez carinho esfregando sua cabeça em mim e miando fino mais uma vez... aquela noite foi terrível... chovia muito... eu e minha mulher chorávamos mais ainda...mas Parecia que ia ficar tudo bem... Não conseguimos dormir, a Veterinária tinha dito que se algo acontecesse ela ligaria... como ela não ligou, achamos que estava tudo bem... na primeira hora da manha fomos até a clínica e recebemos a pior noticia possível... Após receber os sedativos, a pressão caiu muito e ele não resistiu... Pompom que era tão esperto, que gostava de ir pra todo lugar que eu ia, mesmo na rua enfrentava os cachorros, que corria por cima das casa, que cassava passarinhos, que dormia nos cantos mais estranhos da casa, que gostava de carinho e dava carinho para todo mundo, que atendia prontamente ao primeiro chamado de seu nome, que sobreviveu a uma mordia de cacho e a um tiro de arma de fogo... Pompom de tantas histórias e tantas alegrias, mas que sempre estava lá nos esperando... estava morto... gelado, enrolado no seu roupão de banho, lindo e gorducho como da primeira vez que eu lhe vi... porém ele não mais me contaria nenhuma história.

A dor foi terrível... fiz questão de preparar uma lapide com as próprias mãos... tal como se estivesse preparando sua última caminha... chovia muito e a chuva lavava meu rosto... Deitei Pompom suavemente em sua última cama...enrolado em seu roupão com seus potes de ração e água, que era tudo que ele tinha além de nosso amor e carinho... Por mais que os gatos gostam de conforto, eles não precisam de carros e casas maravilhosas para serem feliz... A dor foi terrível enquanto eu o cobria com cimento e terra... essa dor ficou terrível nas semanas que se passaram...  Mas as alegrias de sua vida foram maiores, é elas que devem ser lembradas. Pompom só tina 5 anos, mas foram cinco anos intensos... Quem tem gato sabe que ele não vai abanar o rabo ou fazer um fiasco quando você chega, mas ele vai estar lá... ronronando lhe virá dar carinho e se aprochegar em seu colo.

Com a perda de Pompom, me acovardei. Disse para minha mulher e para o resto do mundo que não queria ter mais nenhum gatinho por um bom tempo. Embora amasse esses bichanos, não estava pronto para a possibilidade de sentir essa dor novamente tão cedo.

Se passou mais de um ano. 2011 vinha sendo um ótimo ano. Recebi uma sonhada promoção no serviço, me formei na faculdade, minha mulher entrou na faculdade, descobrimos que estamos grávidos da pequena Maria Luiza, a notícia mais importante e linda da minha vida!!! De repente as coisas começaram a degringolar...  Fui demitido sem justo motivo e sem nenhum tipo de aviso ou coisa do tipo... os dias estão passando e até agora não consegui sacar o seguro desemprego por causa se um erro do setor de RH. As contas não param de chegar e nada de conseguir um emprego no mesmo nível do meu antigo. Minha esposa sempre me deu força e achou o momento certo para trazer uma nova alegria para dentro de casa.

Enquanto fazíamos as compras no Hiper Mercado ela me pediu a chave do carro para botar um presente. Quando fui colocar as compras no porta-malas lá estava MARU. Um filhote lindo de uns dois meses aproximadamente, ele estava dormindo, todo esticadão... quando abri a tampa e conversei com ele... ele olhou no fundo dos meus olhos, deu um miado fino, me fez carinho e voltou a dormir.
                                                           *MARU lindo e esperto*

MARU era muito lindo. Pelo branco com algumas manchas entre o cinza e marrom, orelhas cinzas e rabo brasino, além dos belos olhos bens azuis. Ele iria ser abandonado no mato, mas minha mulher lhe ofereceu um lar e muito amor.

A alegria de ter um gato novamente em casa foi incrível! Principalmente um filhote brincalhão, bagunceiro, carinhoso e preguiçoso como era o Maru. Ele corria pela casa, caçava mosquitos e moscas enlouquecidamente! Uma noite houve uma invasão de cascudos e Maru se mostrou o caçador numero um destes insetos... até um cascudo enorme de uns 10cm Maru perseguiu!

Maru ia seguir os passos de seu xará japonês e virar sucesso na internet, ele já estava bombando no meu Facebook... Parecia que ia ficar tudo bem... Na última noite ele estava carinhoso como sempre, não adiantava minha mulher tirar que ele voltava para o colo, não deixa ninguém usar o teclado do computador... só queria dar muito carinho.

Pela manhã meu pai venho à minha casa e foi recebido com Maru rolando aos seus pés. Ficamos envolvidos com a obra do “puxadinho” aqui de casa, que logo será nosso novo quarto e uma nova cozinha, afinal a família está crescendo. Enquanto virávamos a massa e sentávamos os tijolos, Maru achava tudo aquilo muito divertido, se enrolava no plumo, se escondia nos tijolos... se sujou todo de cimento! Fomos almoçar, Maru ficou comportado ao lado da mesa nos olhando com seus vidrados olhos azuis. Eu até me surpreendi, afinal ele era tão jovem e já sabia que não podia subir na mesa! Terminada a refeição paramos para assistir TV, estava dando uma reportagem sobre animais abandonados pelos donos e doação... exatamente a história de Maru... Ele subiu na estante e começou a brincar com as imagens na dos outros gatos e cachorros da TV... como se falace: “Olha era isso que ia acontecer comigo e você me salvou”... Meu pai falou que ele poderia furar a TV, eu não preocupei deixei ele brincar... Nada tão bom quanto ter toda aquela alegria dentro de casa! 

Depois disso peguei ele no colo, fiz carinho, tirei um pouco do cimento de seu pelinho e coloquei Maru em cima da cama...

Passado uns dez minutos era hora de voltar a obra. Quando fui até a frente de casa abrir o portão para tirar o carro e ir comprar mais cimento, vi que Maru estava deitado no pátio do vizinho, Chamei ele apenas uma vez... ele não levantou a cabeça nem miou como da primeira vez... mesmo estando um dia muito quente de verão, ventava um vento frio que balançava os pelinhos brancos do Maru... foi ai que eu percebi que ele não mais respirava e que havia sangue no chão... Naquele momento, toda aquela maldita dor voltou... eu não veria Maru crescer, ele não brincaria com a Maria Luiza, não afiaria mas as unhas no sofá, não teria vídeos na internet, não caçaria mais cascudos, não voltaria a brincar com a TV, nem poderia dar mais carinho... O idiota do vizinho tirou o carro da garagem como um animal, não percebeu que Maru estava embaixo da roda, nem deu chance para ele sair... idiota maldito... não houve miado nem gemido... Maru não teve nenhuma chance... e mais uma vez eu não pude fazer nada... Maldita dor! Eu não queria enterrar outro gato tão cedo... olhar cada cantinho da casa onde ele deitava e ronronava é insuportável... sou muito fraco...
Tem gente por ai que fala que gatos são indiferentes e interesseiros... Quem fala isso são IDIOTAS que precisam de um bicho babando, fazendo fiasco e abanando o rabo com sua presença... INTERESSEIRO E INDIFERENTES SÃO OS SERES HUMANOS que sempre esperam algo em troca... que deixam pra depois... que escolhem o que querem esquecer para ganhar vantagens...SE APRENDI ALGUMA COISA COM POMPOM E MARU foi NUNCA DEIXAR PRA AMANHÃ O QUE SE PODE FAZER HOJE. Eles nunca deixaram de dar carinho, de abraçar, de dar amor... por isso os bichos não se importam com o futuro, pois SABEM AMAR NO PRESENTE... já nós seres humanos e racionas, trocamos abraços por promessas, carinhos por bugigangas, sorrisos por hostilidades... perdemos muito tempo esperando por pedidos de desculpas.
         *Ficamos pouco tempo juntos, mas valeu a pena... Ele não deixou nada pra depois*

Meu pai sempre diz que quando um mal acontece com um animal de estimação eram porque iria acontecer com um dono... eu queria acreditar nisso, mas sou racional demais para crendices... Só sei que quando Pompom morreu devido as complicações renais, minha mulher também estava com problemas nos rins e depois daquilo, nunca mais teve problemas, mesmo agora na gravidez... Eu tenho andado meio distraído, cabisbaixo, quem sabe não iria acontecer algo comigo nesse trânsito louco de fim de ano.

Enquanto estava escrevendo esse texto o telefone da minha mulher tocou, e nunca é bom quando isso acontece à meia noite e meia. Minha sogra que tem problemas cardíacos estava passando mal... tive que leva-la correndo como um doido para a emergência... Ela já chegou desacordada e agora está na UTI...  está melhorendo... tomara que fique tudo bem... Não estou pronto para mais dor.  

Adeus ano velho, adeus 2011! Finalmente 2012 está chegando! Vou lutar para construir um ano melhor, o ano que serei pai, o ano que deve ser o melhor da minha vida... Um ano novo de felicidade, um recomeço...

Como foi bom ter os gatinhos Pompom e Maru... Tomara que neste novo ano, tal como eles, eu consiga não deixar para amanhã os abraços e carinhos que posso dar agora... Pode ser que não exista amanhã.

Comentários
22 Comentários

22 comentários:

  1. Nossa. Que profundo. Muito bom o texto. Gostei mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho 2 gatos, e eles são fascinantes (eles até fazem aquele negocio que escala as coisas que eu esqueci o nome)

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto , realmente muito profundo , triste em alguns pontos mas emocionante . Mesmo eu não gostando de gatos u_u

    ResponderExcluir
  4. :) MUITO OBRIGADO A TODOS! Escrevi esse texto realmente com o coração! este fim de ano tem sido complicado pra mim...só posso esperar e desejar um 2012 melhor! abraços!

    ResponderExcluir
  5. O gato da minha mãe também ae chama maru.

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post. Amo gatos, sempre fui feliz, mas muitas vezes, já sofri muito com a morte deles.

    Gostei de ter desabafado. As convivências com os bichanos nos ensinam muita coisa. Hoje eu tenho a minha companheira, Alice, meu amorzinho, ela foi abandonada na frente da minha casa, numa caixa, ela é a minha companheira hoje, a amo muito.

    ResponderExcluir
  7. ENFIM, não sou lá muito fã de gatos, prefiro pássaros (soltos) ou cachorros, mas perder um bichinho de estimação é MUITO triste.

    Ano passado um dos meus cachorros, o Thor, pegou uma doença a qual poucos cães sobrevivem. A veterinária falou que o caso já estava um pouco avançado, e caso ficasse pior, a "melhor" opção seria eutanásia. Tentamos por VÁRIOS meses tratá-lo, mas não deu outra. Era relativamente novo ele, tinha menos de 3 anos.

    Agora meu outro cãozinho, o Cookie pegou uma outra doença, menos grave que a do Thor, mas levando em conta que ele é bem mais velho (tem 14 anos), eu fico muito preocupado. Eu e meu pai estamos cuidando dele ao máximo e fazendo de tudo para pagar tratamentos... espero que ele saia dessa.

    ResponderExcluir
  8. Lindo o seu texto

    Seu Maru é parecido com a minha Mika, me emocionei

    ResponderExcluir
  9. tenho 2 gatos

    1 - Zelda
    2 - Gato Maluco (sim, é o nome dele)

    enfim...

    ResponderExcluir
  10. Bom o texto, só tiraria algumas reticências pra facilitar a leitura.

    Mas você querendo ou não: Cachorros >> Gatos. Prova: http://www.umsabadoqualquer.com/680-criacoes/

    ResponderExcluir
  11. ja tive gato e cachorro. gato é e melhor. FABIOGT, sei o que é perder um bichinho... realmente é horrível, sinto sua dor, meus pêsames...

    ResponderExcluir
  12. Ah, que história legal.
    Gatos realmente são bem amorosos o daqui de casa por mais "besta" que ele parecesse, sempre sabia a hora certa de estar perto da gente... Não entendo por que as pessoas tem mania de matar eles, seja botando veneno ou torturando. Mas, seres humanos são mesmo terríveis, são os piores animais que existem na Terra.

    Espero que seu 2012 seja bem melhor...

    ResponderExcluir
  13. Ainda bem que tem gente sensata no meio de tanta asneira que foi dita!
    Legal a história fabioneedforspeed!

    Independente de suas preferências,todos os animais devem ser amados e respeitados (inclusive o animal homen)!

    ResponderExcluir
  14. Bom texto....
    Gatos, na minha opinião de merda, são mais legais doq cachorros !!!!
    Em todo o caso, já tive os dois!!! ~
    E por mais q eu goste, atualmente é meio complicado deu ter algum ~

    ResponderExcluir
  15. Ivan= Acho que no fim das contas é por isso que temos animaizinhos. O desabafo nos faz ver o mundo de uma maneira melhor! Viva muitas histórias com sua Alice :)

    Nícolas= Desejo recuperação ao Cookie!

    Beatriz= Que bom que consegui despertar tua emoção, escrevi esse texto com o coração S2

    Diego= Felicidades com seus bichanos :)

    Lucas= Tenho este hábito quando escrevo textos espontâneos ou textos mais emocionais e menos racionais como esse. É uma espécie de “marca registrada”... mas obrigado pela atenção... Quanto compara gatos e cachorros, isso é maldade das pessoas, os dois são bichos muito diferentes, de hábitos distintos, que amam diferente... mas todos são legais... alguns vão gostar mais de cachorros outros mais de gatos. Abraços!

    João Vitor= Obrigado! Força sempre.

    Matheus= Que bom que costastes da história, pois essa é a história da minha vida. Com o tempo vc vai descobrir que o separa O ser humano dos outros animais não é a racionalidade, mas sim a capacidade de se frustrar e tentar descontar suas frustrações nos mais fracos.

    fernando= Tens toda razão!

    Dio= Sua opinião não é uma merda. Merda é não ter opinião, ou pensar que sua opinião é a verdade absoluta :)

    ResponderExcluir
  16. Ótimo texto que tu postou Fábio... . Sensacional.. . Eu sou suspeito para falar porque também gosto de gatos. Você vai superar a saudade desses bichanos e com o tempo tu vai lembrar somente das coisas boas... . Como eu lembro até hoje de alguns animais que já tive muito carinho por eles. Só o tempo mesmo para curar essas feridas... . mas passa brother.. . Feliz 2012 e tudo de bom pra vocês aí!!!! Abraço !!

    ResponderExcluir
  17. Feliz Ano Novo Fábio! Sua história com o Pompom e o Maru foi realmente linda.Minha infancia toda sempre tive cachorros e alguns gatos.Também tenho uma história triste de perca de animal e entendo seu receio quanto a outros animais.Mas estes seres vivos nos fazem sentir mais vivos, Fábio, e o amor também é dor né?A gente não consegue ficar se escondendo ou tentando evitar, é vida e vc vai descobrir uma dorzinha quando sua filha te pedir um animal de estimação.. não tem jeito, vai acontecer.Então, acostume-se com a idéia de ter novamente seu coração e o da sua familia novamente reconfortados com o amor animal, o que acho mais magnifico dos animais é que eles não complicam as coisas, como vc tão bem disse:resolvem e vivem, ponto!Tenho certeza que 2012 sera lindo para vc, sua esposa e a nova sementinha que vai chegar (Maria Luiza, lindo nome), que vc sera um pai zelozo e amoroso e que os caminhos para as coisas boas irão se abrir como quando um gato se aconchega no colo, ronrona e quer só sua presença,assim naturalmente, do jeito que vc é, sem te julgar ou culpar.Simples assim.PS: hoje em dia tenho 3 cadelas ( as mulheres dominam por aqui) e uma gatinha linda de 2 anos, a Zig, que presentei a meu marido de aniversário ( e acredite ele tem rinite, rs) quando ele necessitava desse carinho, hj é o animal mais mimado de casa, pode tudo, inclusive o meu lado na cama... Feliz 2012, Fabio.

    ResponderExcluir
  18. Que tudo se ajuste. Que 2012 lhe traga o que você precisa. Que as transformações que você deseja aconteçam. E que a sua filha traga muita luz e alegria para a sua vida. Sabe, tenho uma filha de 2 aninhos, e não compartilho da ideia de que filhos substituem amores perdidos. Porque acho mesmo que não substituem. Mas trazem às nossas vidas o maior Amor do mundo. E transformam TUDO em alegria.

    Feliz 2012 para você e sua família. Foi um prazer tê-lo no meu blog.

    Erica

    ResponderExcluir
  19. rascunhos= Realmente não podemos fugir da dor, isso é para os fracos. Certamente voltaremos a ter um gatinho em casa, mas essa não é a hora, quem sabe quando a Malu pedir... hehehe. Felicidades pra vc, tua família e todos animaizinhos da casa :)


    Erica Gaião= As coisas já estão melhorando! Minha sogra saiu da UTI e está melhor... Vou lutar para fazer de 2012 um ano fantástico. Imagino a emoção que é ter um filho(a) e lhe ver crescer... tento a cada segundo conter minha Ansiedade. Abraços e felicidades em 2012 pra ti e toda tua família!

    ResponderExcluir
  20. Muito emocionante sua história, me fez chorar, o PomPom me lembrou o meu Xuxu que se foi há 4 anos devido a um câncer na bexiga, ele tinha 17 anos. Depois dele eu falei que não queria mais gatos, mas não adianta, hj eu tenho 5, são minha vida, minha alegria.
    Se me permite, gostaria de dar um conselho, se vc como eu adotar outros gatinhos, não permita que eles tenham acesso à rua, nem que seja a casa do vizinho ou a calçada, tele suas janelas, é muito mais seguro p/ eles, te garanto que eles vivem muito bem assim.
    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos conselhos! Um dia (não agora) certamente voltarei a ter gatinhos, ADORO ELES!

      Excluir
    2. Amigo ! Me emocionei com a sua historia e,de seus gatinhos ! Sei o que sente ja tive e,perdi meus gatos Gugu,Sasho e,outros envenenados por um ser Vizinho sem alma e,sem coraçao ! Perdi a Dudinha como o seu último atropelada. Meu marido atropelou sem quere ! Sofremos mto ! Perdi outros de formas diverssas e,hje tenho uma sem raça definida e,se chama Teodora ja esta com 16 anos ,nao quero nem imaginar qdo ela partir ! Eu sou cardíaca e,minha preocupaçao maior é se eu for antes deles quem vai cuidar dela que tem esquizofrenia mas é um Amor,Companheira e,mto Dócil e,de meus Cachorros ! Desde criança ouço as pessoas falarem que qdo é para acontecer algo com a gente os bichos nossos de estimaçao absorvem para eles e,morrem no nosso lugar ! Fique com Deus ! Eles estao no Céu !

      Excluir