sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

2.4 SENSIBILIDADE PARA PERCEBER O PROBLEMA

     Seria injustiça com a maioria dos professores se não fosse salientado que


mesmos nas aulas mais monótonas sempre são feitas perguntas clássicas, tais

como: “Vocês entenderam a matéria?” ou ainda, “Ficaram com alguma duvida?”. E

os alunos cordialmente respondem: “Não temos dúvida querida professora.”

As frases usadas cima são exemplos clássicos e gritantes de como o

professor pode fazer perguntas relacionadas ao assunto e os alunos responderem

sem que isso gere alguma atividade verdadeira do pensar.

Se o processo for totalmente mecânico, ou se o professor trouxer as

perguntas e suas respectivas respostas pré-prontas, provavelmente não haverá

incentivos naturais à prática da investigação e aula correrá o risco de se tornar ainda

mais estruturada e desestimulante para o aluno do que se não houvesse tais

perguntas.

     O professor necessita perceber quais questões serão estimulantes,

interessantes e exigirão a reflexão e a investigação dos alunos. Não existe um tipo

especifico de questões a serem feitas, porém devem ser questões que ponham em

dúvida as certezas dos alunos, que sejam discrepantes ou carreguem em si algo

quase chocante e abominável, algo que não consiga deixar nem o mais desatento

dos alunos indiferente ao que foi dito. Sempre que possíveis, as perguntas devem

surgir da iniciativa dos alunos e quando não existir esta iniciativa, deve partir da

sensibilidade do professor.

      Tal como as aulas e as perguntas realizadas pelo professor devem ser

questionadoras e dinâmicas, o currículo escolar também deve ser. Para isso ele não

pode ser paralisador do pensar, ou se apresentar de maneira clara e inflexível. Para

Lipman, o currículo escolar deve trazer à tona aspectos do tema ainda não

resolvidos e problemáticos, a fim de prender a atenção dos alunos e estimulá-los a

formar uma Comunidade de Investigação. (LIPMAN, 1995, p. 32)


 Este texto faz parte do trabalho chamado “Crítica a Escola” escrito por mim, Fabio Goulart. Para fazer o Download do trabalho Completo CLIQUE AQUI. Todos os dias será postado um novo texto deste trabalho aqui no site! Boa Leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário